Bancada do Cosme

Para mostrar, discutir, imaginar, tudo sobre bancadas de trabalho em marcenaria
Avatar do usuário
cosme
Mensagens: 885
Registrado em: 05 Jan 2015 23:47
Localização: Petrópolis [RJ]
Contato:

Bancada do Cosme

Mensagempor cosme » 09 Jan 2015 11:22

Oi pessoal, escolhi como primeiro tópico a construção da minha bancada. Alguns colegas mencionaram o projeto no tópico de Boas Vindas e no mais é o meu projeto atual.
Há um tópico no GDM que marca o início dos trabalhos e por lá tenho toda a história que consegui relatar até o momento. Não sei bem ainda como vou agir com o conteúdo entre os dois fóruns, acredito que talvez fosse uma boa hora para pensar em um blog :think: Não vou tentar trazer tudo o que já está lá para cá pois será uma loucura, vou tentar fazer um resumo e postar as fotos mais recentes.

O projeto da bancada é do Rob Cosman e o que me possibilitou começar este projeto dado a minha pouco experiência e conhecimento, foi o programa Online de Workshops do Cosman: http://robcosman.memberlodge.com. Eu recomendo fortemente. Há neste programa uma série de 178 episódios em vídeo dedicados a construção da bancada. Extremamente detalhado e abrangente, envolvendo desde a escolha das madeiras até o acabamento. Cada vídeo tem por volta de uns 30min. Se não me engano eu parei no vídeo número 52.

Comecei a minha bancada no dia que abri o tópico no GDM: 02 de agosto de 2014.
Infelizmente eu ainda não tenho um espaço de trabalho na minha casa. Tenho que viajar 150Km para trabalhar nas madeiras e somente durante os finais de semana em um intervalo que normalmente é de 15 em 15 dias, ou seja, tenho muito pouco tempo.

Coloquei como uma meta o término da base da bancada para o dia 31 de dezembro de 2014. Eu somente não consegui cumprir porque ficou restando o acabamento, e aqui vale ressaltar o seguinte:
1) Uso de uma raspilha(acessório que ainda não usei e não tenho) nas espigas das travessas da base, pois lá o acabamento não está do mesmo nível do restante;
2) Aplicação do Óleo de Tungue.

Imagem
Esta fotografia foi realizada no dia 31/12/2014 com a base montada.
A madeira utilizada até aqui foi Peroba Mica.

Imagem
Detalhe das junções da direita.

Imagem
Detalhe das junções da esquerda.

Imagem
A base é desmontavel. As travessas são travadas nas laterais através de cunhas. A fotografia acima demonstra o travamento de um lado da travessa a uma lateral.

Imagem
Acima uma das cunhas que foram moldadas a mão usando uma grosa Shinto.
Sim, eu não tenho e não pretendo ter uma serra de fita.

A maior parte do meu trabalho é realizado sem eletricidade, porém o projeto é para ferramentas elétricas e sendo assim alguns desafios surgiram até o momento, e, tenho a certeza que vão continuar a aparecer. A sorte é que o Cosman demonstra opcionalmente a execução de algumas etapas usando ferramentas manuais. Alguns exemplos do que foi feito a mão: as pernas que ligam a base ao topo são com espigas gêmeas(ou duplas), a maior parte eu cortei e fiz o acabamento na mão; todas as furas foram feitas com bedames; aquele arredondado da base e do topo foi feito todo a mão também, como também o rebaixo da base. Há fotos detalhadas no tópico do GDM.

No momento eu estou bloqueado esperando chegar as raspilhas, e, preciso estudar o tampo para correr atrás da madeira que será utilizada.
Gostaria muito de terminar a minha bancada até o final deste ano, mas dado a minha frequência de trabalho, acredito que é uma previsão muito otimista, afinal de contas o tampo é muito mais complexo pelo o que pude perceber.

Sintam-se à vontade em criticar, sugerir, elogiar, incentivar, enfim: participar.
Tenho dito no GDM, uma simples mensagem de apoio já coloca alguns litros de combustível no meu motor.
Ao menos para mim, este é um projeto extremamente grande e desafiador, e agora que a peteca está no ar, não quero de jeito nenhum deixá-la chegar no solo, e a participação de vocês ajuda em muito.
Não fiquem com receio de sugerir novas abordagens e de criticar, é ótimo escutar palavras de que está bonito, está bacana e etc, mas é muito proveitoso também escutar uma dica interessante de algo que nunca pensei, de uma alternativa para algo complexo de ser executado sem se ter a ferramenta adequada e etc.

Sejam bem-vindos a minha jornada!

[]s
Cosme
http://ricardocosme.com

"If you're going to do it, do it well."
-- Frank Klausz
Avatar do usuário
paulobro
Mensagens: 3408
Registrado em: 13 Jun 2011 05:27
Localização: Porto Alegre / RS
Contato:

Re: Bancada do Cosme

Mensagempor paulobro » 09 Jan 2015 19:55

Ja tinha visto — e admirado! — no GDM teus passos na construcao da base da bancada, Cosme. Se tens tal preocupacao com detalhes e acabamento para fazer uma bancada, imagino quando fores fazer um movel fino, hehe.

Particularmente — ate porque na minha (limitadissima) experiencia acho morsas fixas na bancada algo meio superfluo, preferindo mil vezes dogs e holdfasts na bancada, e morsas de dois parafusos (Moxon vise, como dizem alguns Grandes Irmaos) e o Jawhorse pela mobilidade quando 'morsar' e' preciso, hehe — nao sou muito apreciador do design da bancada de Mr. Cosman. O que, vejas bem, nao quer dizer eu tenha qualquer duvida ela pode sim desempenhar, e bem. E' questao de gosto, simpatia, por ahi...

Para talvez ocupares teu tempo longe das madeiras uma, ou melhor, duas sugestoes: dois livros que constituem o mais amplo e completo tratado que ja pude ler sobre bancadas, na teoria e na pratica. Os dois sao de autoria de Mr. Christopher Schwarz e podem ser comprados em papel, mas e' bem mais barato baixar como arquivos eletronicos, tanto como .PDF ou para kindle. Eis os links:

Workbenches (azul)
http://www.shopwoodworking.com/workbenches-w5129 (pdf)
http://www.amazon.com/Workbenches-Desig ... 216&sr=1-1 (kindle)

Workbench design (vermelho)
http://www.shopwoodworking.com/workbenc ... load-t0276 (pdf)
http://www.amazon.com/Workbench-Design- ... er+schwarz (kindle)

Raspilhas, da para fazer com qualquer chapinha de aco, inclusive com a lateral de espatulas, etc. O processo de afiacao e' sempre o mesmo: http://www.finewoodworking.com/tool-gui ... raper.aspx

Se tiveres dificuldade de encontrar oleo de tungue, oleo de linhaca faz o mesmo efeito protetivo. Talvez nao tao bonito, porque linhaca escurece com o tempo, mas beleza em uma bancada pode ser perigoso: pode dar pena de usar, hehehe. De qualquer modo, mais importante do que o oleo e' aplicar cera: a cera nao apenas ajuda a impermeabilizar, mas facilita remocao de manchas, pingos de cola, etc. Importante mesmo e' nao usar nenhum acabamento — tipo silicone — que possa contaminar as pecas sendo trabalhadas.

Tudo bem que prefiras ferramentas manuais `as motorizadas. Muita gente prefere, eu tambem. Mas e' bom ter umas eletricas quando o assunto e' forca. Aparelhar uma prancha bruta com plainas, ripar ou, pior, desdobrar na serra manual... Meu amigo, e' dose! Ja fiz, para ver como era, e nao penso repetir, hehehe.


Mais uma vez, efusivas congratulacoes pela lide, e pela obra! :clap: :clap:
Avatar do usuário
fguido
Mensagens: 3691
Registrado em: 12 Jun 2011 19:56
Localização: Rio das Ostras - Rio de Janeiro
Contato:

Re: Bancada do Cosme

Mensagempor fguido » 10 Jan 2015 08:09

Cosme, assim como o Paulo eu já conhecia o seu excelente trabalho de outras andanças, creio que já viu e eu também tenho uma bancada em andamento que espero um dia conseguir terminá-la, mas é lógico não chega aos pés da sua. Em relação às raspilhas que vc comenta não tê-las, aqui se consegue facilmente nas casas de material para pintura. Um trabalho de requinte como o seu merece ir para a galeria da fama das bancadas com certeza. E, me conte uma coisa, como vais fazer os tornos (morsas)?

Grande abraço
Guido
Nada no mundo é mais perigoso que a ignorância sincera e a estupidez consciente
Martin Luther King Jr
Quer outra frase legal? - "... uma das coisas mais perigosas do mundo é um ignorante com inciativa....Mário Sérgio Cortella
Avatar do usuário
cosme
Mensagens: 885
Registrado em: 05 Jan 2015 23:47
Localização: Petrópolis [RJ]
Contato:

Re: Bancada do Cosme

Mensagempor cosme » 10 Jan 2015 20:27

Paulo, o tópico por aqui não poderia começar melhor. A sua provocação construtiva com relação as morsas e ao desenho da bancada é muito bem-vinda. Estava empurrando com a barriga o momento de parar para estudar um pouco da história e me questionar o que eu estava de fato fazendo. Mas acho que este teu post é o suficiente para sair da inércia com relação a este ponto. De certo que não é lá dos melhores momentos para ter mais um livro na agenda de leitura atual, mas está feito: livro vermelho via Kindle sendo aberto em poucos minutos. Acredito que o vermelho pode ser mais adequado frente o azul para o meu estágio atual, não sei, vamos ver. Que venha o azul depois do vermelho :grin:

Seguinte, fiz uma breve pesquisa sobre Moxon Vise. Antes de mais nada, por acaso tens uma cópia do "Mechanick Exercises" do Joseph Moxon? Fiquei com água na boca.
Por aqui solto regularmente bons palavrões ao plainar as minhas peças. E vamos deixar claro que: não, minha plaina #6 não é utilizada vez ou outra, é todo o santo dia que estou trabalhando nas madeiras. Ela é minha desempenadeira, tem sido o meu desengrosso por me incomodar demasiadamente com meu 2012NB da Makita, é a minha ferramenta de acabamento e por ai vai. Precisa de uma companheira, e deve chegar em breve uma #5 para ajudar e assumir a primeira posição no Shooting Board. E sendo assim perguntei-me inocentemente algumas questões do tipo:
1) Se os Holdfasts ficam por cima da peça como terei a face inteiramente disponível para desempenar?
2) Se plainar ocupa por muitas vezes todas as horas de um dia nas madeiras, porque eu teria que desmontar e montar uma Moxon Vise em cima da minha bancada?
3) Como uma Moxon vise poderia ser mais eficiente ao se desempenar uma peça de 40 x 160cm, que por coincidência a fiz a poucos dias?

Os Holdfasts me parecem esmagadores para diversas situações. A Moxon vise me parece um luxo para serrar "naquela altura adequada", mas e o meu feijão com arroz de se plainar uma face inteira na bancada prendendo a peça em poucos segundos? E aqui fico pensando que talvez você já até tenha as respostas. De certo que preciso estudar mais e passar ao menos pelo livro vermelho, talvez assim seja mais proveitoso para entender este teu comentário e discutir soluções. Mas tenha a certeza que a pulga já está atrás da orelha.

Providenciei uma raspinha da Bahco e um conjunto da Crown, sinceramente achei o preço muito baixo e um item extremamente leve para se importar, mas é bom saber que posso fazer uma com material primário. O Óleo de fungue foi fornecido pelo nosso amigo Pedro Neptuno: 02 litros. No GDM cheguei a ter esta mesma percepção com o Linhaça, vamos ver. Acho que minha próxima ida ao espaço poderei ao menos fazer um teste com um pequeno pedaço de Peroba.

Eu agradeço mais uma vez pela provocação, pelos elogios e pela visita. Espero que continue ativo no tópico :grin:

Guido, eu cheguei a olhar o começo e o fim de um tópico sobre a sua bancada. Confesso que me assustei com as datas :think:
Antes de comentar algo gostaria de desfrutar mais do teu tópico :)
Será que vou passar pelo mesmo!? Não seria nada interessante. Não sei como está por ai, mas por aqui a bancada é tão esperada e necessária que já até trabalho com um tampo temporário.
Ferramentas manuais sem uma boa bancada não me parece uma boa combinação...
Não esqueci de marcarmos algum encontro lá na região, mas como tenho pouquíssimo tempo para trabalhar nas madeiras eu acabo sendo um tanto egoísta com o tempo, kkk. Valdecir que o diga!
Com relação as morsa ainda é uma incógnita, mas, a princípio eu iria optar pelo modelo escandinavo mesmo, que basicamente é o fuso em si(Paulo se eu estiver falando bobagem pode me corrigir!). O Roger chegou a postar no tópico referente no GDM uma opção nacional, cheguei a abrir o link mas ainda não consegui pesquisar nem muito menos responder a ele, tenho que ver. Por ora achei os preços da Lee Valley e da Woodcraft bem razoáveis: ~30 dólares. Mas não sei se neste valor o tamanho me atende, preciso ainda estudar o que preciso no projeto, ainda estou na seleção da madeira. Mas tenha a certeza que vou manter o tópico atualizado com relação a isso. Se você tiver recomendações e idéias, por favor, sinta-se à vontade em postar aqui, será de grande utilidade!

Agradeço pelas palavras e pela visita, espero lhe ver mais vezes por aqui :obscene-drinkingcheers:

[]s
Cosme
http://ricardocosme.com

"If you're going to do it, do it well."
-- Frank Klausz
Avatar do usuário
Adenilson
Mensagens: 1605
Registrado em: 27 Mai 2012 17:26
Localização: Tanabi - SP
Contato:

Re: Bancada do Cosme

Mensagempor Adenilson » 11 Jan 2015 17:39

sua bancada é lindissima... eu sinceramente gosto muito dos holdfast.... tenho 1 só, mas uso bastante...
apesar de ele ser muito exagerado para a minha bancada..
Viver! E não ter a vergonha De ser feliz
Cantar e cantar e cantar A beleza de ser Um eterno aprendiz...
---------------------------------------------------

http://www.discipulodocarpinteiro.blogspot.com.br
Avatar do usuário
paulobro
Mensagens: 3408
Registrado em: 13 Jun 2011 05:27
Localização: Porto Alegre / RS
Contato:

Re: Bancada do Cosme

Mensagempor paulobro » 12 Jan 2015 06:30

Para secar a baba, podes conseguir o livro do Moxon reeditado para ingles atual e comentado, Cosme, em formato .pdf, na Lost Art Press:
http://lostartpress.com/collections/boo ... tofjoinery

Para plainar prancha de face nao e' preciso prende-la; apenas apoia-la. Contra um batente fixo, geralmente na, ou proximo `a, extremidade esquerda da bancada e com um ou dois dogs do lado direito da prancha para evitar movimentos laterais (isso para destros; para canhotos, inverta-se os lados, hehe). O batente pode ser substituido por, por exemplo, um sarrafo fixado ao tampo por holdfasts ou grampos. Outro jeito com batente, holdfast e sarrafo e' o demonstrado nesse video por Mr. Richard Maguire:
https://www.youtube.com/watch?v=WNrof3cd1cA

Para plainar de lado, ou de topo, a prancha e' fixa na frente da bancada com dogs como apoio, nas pernas, e empurrada contra um crochet, ou 'aprisionada' por holdfasts, tambem nas pernas.
https://pfollansbee.files.wordpress.com ... l-view.jpg
https://carlswoodworking.files.wordpres ... face02.jpg

Inumeras, variaveis abordagens, cheias de flexibilidade. Morsas fixas na bancada sao limitantes, obrigam o usuario a se adaptar a elas, ao inves de adaptarem-se elas ao usuario — se e' que faco algum sentido.


Onde morsas sao fundamentais e' no corte de encaixes. E ahi entram os dois parafusos, hehe, igualmente oferecendo variabilidade e flexibilidade, sem falar em melhor ergonomia...
http://video.pbs.org/video/2265291141/

E por falar em morsas, prendendo desde um sarrafinho ate uma porta macica completa, por um canto a qualquer angulo, ou como se queira, eu considero um JawHorse, ou similar, nao apenas uma morsa ultrapotente mas talvez o melhor auxiliar de oficina que conheco. O frete pesa um pouco para trazer, e' verdade, mas eu nunca me arrependi do investimento.
https://www.youtube.com/watch?v=SvrpfW71w7A
https://www.rockwelltools.com/en-US/Jaw ... K9003.aspx
Avatar do usuário
Adenilson
Mensagens: 1605
Registrado em: 27 Mai 2012 17:26
Localização: Tanabi - SP
Contato:

Re: Bancada do Cosme

Mensagempor Adenilson » 12 Jan 2015 12:14

PauloBro, se entendi bem vc não gosta da ideia de ter morsa na bancada. Nem mesmo aquelas tradicionais que são paralelas a uma das pernas da bancada???

Em não havendo a morsa usaria somente os valetes e "morsas" que podem ser colocadas e retiradas, como a dos parafusos no video postado?

quanto a livros sobre bancada queria ainda sugerir uma outra opção:

Scott Landis, The Workbench Book, Taunton Press, Newtown, 1987.


Ps. Eu tenho em PDF
Viver! E não ter a vergonha De ser feliz
Cantar e cantar e cantar A beleza de ser Um eterno aprendiz...
---------------------------------------------------

http://www.discipulodocarpinteiro.blogspot.com.br
Avatar do usuário
paulobro
Mensagens: 3408
Registrado em: 13 Jun 2011 05:27
Localização: Porto Alegre / RS
Contato:

Re: Bancada do Cosme

Mensagempor paulobro » 12 Jan 2015 14:10

Adenilson, o que eu disse e' morsas sao superfluas. Superfluo nao e' ruim, muito pelo contrario. E' um luxo, so nao e' uma necessidade.

Que morsas sao superfluas na bancada aprendi na pratica: quando transformei minha mesa de churrasco em bancada, como todo mundo a primeira coisa que pensei foi colocar-lhe uma morsa. Sofri para conseguir trazer uma dA Matriz (o frete para um bloco de ferro fundido e' um problemao), sofri um pouco para colocar, mas coloquei, todo faceiro.

morsa.jpg
morsa.jpg (110.48 KiB) Exibido 2585 vezes

Na pratica, quase nunca uso.

Olhando a literatura, antes da revolucao industrial e dos apelos comerciais, bancada de marceneiro com morsa era a excecao; na Franca alguns artesaos adicionavam crochets, na Inglaterra, nem isso. No Oriente entao, nem se usa bancada (a bancada e' o chao mesmo). Holdfasts e dogs fazem o servico tao bem quanto morsas, se nao melhor. Uma morsa avulsa, como a de dois parafusos, pode ser usada quando necessario, e removida para nao atrapalhar, quando nao.

Outra coisa que minha mesa que virou bancada me ensinou foi: fundamental e' o tampo. O tampo e' que estrutura a coisa toda. Minha mesa/bancada e' um tampo de pinho (araucaria) solto em cima de tres pes que sao simples paralelepipedos de madeira. Nenhum encaixe, nenhuma estruturacao nos pes — que alias ficam moveis e de fato sao movidos para a posicao em que melhor possam se prestar, conforme a conveniencia do momento. Ja fiz e faco praticamente de tudo — plainar, serrar pranchas, montar portas macicas, cadeiras, moveis — e nunca tive qualquer problema ou limitacao.

bancada.jpg
bancada.jpg (65.87 KiB) Exibido 2585 vezes
Avatar do usuário
cosme
Mensagens: 885
Registrado em: 05 Jan 2015 23:47
Localização: Petrópolis [RJ]
Contato:

Re: Bancada do Cosme

Mensagempor cosme » 13 Jan 2015 09:51

Obrigado pelo elogio Adenilson, agrada-me a idéia do Holdfast. Principalmente o clássico em que se utiliza um martelo para se obter a pressão pois me parece mais prático ainda do que o modelo moderno da Veritas com rosca. Um abraço!

Paulo, agradeço pela energia em ilustrar cada ponto que foi levantado. Como imaginei, você tinha argumentos na ponta da língua. Não conhecia a Lost Art Press, confesso que teria de gosto de ter uma cópia em capa dura deste livro, vamos ver. O caixa anda frágil neste mês com tantos brinquedos saindo da Matriz. Deixei um comentário no post que você dedicou recentemente sobre o desempeno de uma face com uma configuração sem morsa, lá eu procurei explicar o que ando fazendo, que na verdade não é lá muito longe do que você sugere.

Em relação ao comentário e ao que foi exposto tenho algumas considerações:
1) Parece-me que dar uma porrada num Holdfast, que por sinal pode entrar onde eu quiser conforme o projeto do meu tampo, é muito mais rápido do que ficar roscando a manopla de um grampo. Então, para prender por exemplo três ou quatro pontos a coisa muda de figura;
2) Eu acho difícil de não adotar os Holdfasts na bancada, e neste sentido vou avaliar se a sequência de buracos para os dogs não poderiam ser circulares ao invés de quadrados;
3) Eu já havia visto o vídeo em que se demonstra a aplicação de um V. Minha mãe me diz que o meu avô não usava morsa, e lembrou da aplicação de V's para prender as peças, de fuso por lá só um enorme para ajudar no processo de se fazer vinho, em tempo: o povo era da roça portuguesa. Ele procura demonstrar no vídeo a solução para um problema que tenho hoje tentando usar muito mais material do que ele: fixar a contento tanto a parte de trás da peça quanto evitar o movimento lateral no sentido em que a plaina corre. Acho que agora é o momento para se testar esta dica, vamos ver;
4) O vídeo da morsa Moxon eu não conhecia, e aqui estava prestes a comentar algo que ainda não tive a oportunidade, no livro The Unplugged Woodshop, o Tom Fidgen demonstra a construção de uma morsa que me chamou a atenção: Lying Press. Parece-me que é um outro nome para a morsa Moxon. Particularmente ele usa muito esta morsa para abrir as madeiras dele com uma Frame Saw. Eu gostei muito do estilo, da praticidade e da autonomia em ser toda de madeira. E aqui deixo uma pergunta: alguém com alguma experiência para contar em se fazer o próprio fuso de madeira com um kit macho e fêmea de qualidade? (http://www.woodcraft.com/Product/12T17/ ... 6-TPI.aspx)
5) Na minha base eu já tenho um recesso, uma assimetria em uma lateral, destinado a morsa shoulder (frontal?!). Se porventura eu quiser eliminar a morsa o que eu faria daquele espaço? A princípio pensei que seria mais fácil manter a morsa e tentar um fuso em madeira, e, talvez eliminar a morsa tail (lateral?!).
6) O uso do Holdfast na lateral da bancada(algo que hoje não consigo fazer na mesa temporária) realmente resolve muito problemas: posso prensar de fato a peça lateralmente e com dois prisioneiros consigo sustentar uma peça para plainar uma aresta.

[]s
Cosme
http://ricardocosme.com

"If you're going to do it, do it well."
-- Frank Klausz
Avatar do usuário
Dartadf
Mensagens: 491
Registrado em: 09 Out 2012 10:26
Localização: Valparaiso de Goiás ao lado de Brasília
Contato:

Re: Bancada do Cosme

Mensagempor Dartadf » 13 Jan 2015 10:33

Tendo acompanhado a construção de muitas bancadas em vários Fóruns, tenho que considerar que de todos este tópico aqui, é sem sombra de duvida o melhor Brain Storm que já vi sobre a anatomia e os porquês dos recursos de uma bancada.
Isto ira sem duvida ajudar muita gente a ter senso critico na hora de planejar suas bancadas, pois até agora tinha visto as pessoas escolherem instalara morsas mais por que estava convencionado que tinha que ter do que por necessidade.
Em tempo quero elogiar a isenção de vaidades que tem possibilitado este nível de discussão.
Abraços Darta.

É fazendo Mer... Que se aduba a vida!
http://dartadf.blogspot.com.br/

Voltar para “Bancadas”

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes